sexta-feira, 1 de outubro de 2010


CÁLCULO INFINITESIMAL ANGULAR GRACELIANO.


Autor. Ancelmo Luiz Graceli.

Brasileiro, professor, pesquisador teórico, graduado em filosofia.

Endereço – rua Itabira, n 5, Rosa da Penha – Cariacica – Espírito Santo, Brasil.

ancelmoluizgraceli@hotmail.com

Trabalho registrado na Biblioteca Nacional – Brasil – Direitos Autorais.

APRESENTADO A SECT – ES – BRASIL.

Sesbram – Sociedade Espírito Santo – Brasil de Matemática – submissão.


DO QUASE NADA TUDO PODE SURGIR – EXCETO DEUS. POIS É O ÚNICO ABSOLUTO.



MATEMÁTICA.

O objetivo deste trabalho de modelo matemático é desenvolver uma nova forma de ver o cálculo, porém simples e que poderá sofrer varias reformas com o passar do tempo.

Teoria graceliana de limite.

´´Menos uma parte de um todo, o resultado dividido pelo todo´´. Prosseguindo a equação infinitamente.

x - y / x = g. O resultado [g] sempre será entre zero e um.
Aí temos o início de um novo cálculo infinitesimal.
x-y / x = g. onde g nunca passará de um e nunca será menor que zero. E diminuirá infinitamente.

G + g.
g-g.
g/g. g*g/x.
g/ g
n … progressão infinitesimal.

[k]
g/x .


g*g = a g.
n…
x-y/x = g... * x-y/x = g... + x-y/x= g = n...


g* a g.... Progressão de limite.

O limite entre zero e um pode ser infinito, pois pode diminuir infinitamente, porém sempre será menor que o número um.

gx /x limite infinitesimal.
n...

x – y /x /x ...

Encontrado o limite entre zero e um com o todo subtraído de uma parte, e volta a dividir com o todo, é encontrado assim um número que nunca extrapola de um.


Cálculo Graceliano Angular.

Gráficos a partir de pontos e limites entre zero e um.

1 - Variação de pontos pela variação da distancia ao ângulo, e pela variação do ângulo.

O ponto é marcado pelo ângulo e pela distância ao ângulo. Onde os pontos variarão.

E a distância variará conforme a equação em relação ao ângulo que o determinará.

Exemplo.

20 * x = 40. Onde x=2, ou seja, a distância é igual a 40. Ou seja, temos um ponto no ângulo 20 e uma distância 40, ou seja, 2 vezes maior que o ângulo. Assim se construirá um formato no espaço ou num gráfico pré-determinado.

Ou seja, tanto o ângulo pode variar quanto x, determinando que dentro de um gráfico a partir de ângulo teremos ponto com várias distâncias ao centro. Onde teremos vários formatos de retas, curvas, e formas a partir destes pontos.

Com x sendo equações, progressões, limites, frações, etc.

Exemplo.
x-y
X= x .

X = y/x -1. E várias outras formas de se encontrar os pontos de ângulos [â] e distância.


2- Variação de pontos também a partir de variação de ângulos variáveis, e distância a partir destas variações somadas com as variações das equações das distâncias.

Exemplos.
1 - â = progressões, frações, e outras variáveis.

2 - ã = y/ 2 +3/2 = ao ângulo. Encontrado o ângulo será procurado a distância de cada ponto ao centro do gráfico, a partir de uma outra fórmula para se encontrar a distância a partir daquele ângulo já encontrado.


1 - x+y = ã. O ângulo [â] determinará a distância a partir de uma nova fórmula.

E ângulo e distância determinam o ponto onde com vários pontos serão construídas retas, curvas e gráficos. Encontrando vários ângulos, serão encontradas várias distâncias, e para cada ângulo e distância será marcado um ponto. E estes infinitos pontos darão formato a retas, curvas e gráficos.

Exemplo.
X=y /3 =â â= x*[g/2] = d = distância.

De variáveis será encontrado o ângulo, do ângulo + variáveis será encontrado a distância do ângulo ao centro, e ângulo e distância ao centro é onde o ponto será marcado para aquela equação.

X+2 =ã 3+2 =5 ã=5.
D= ã + 4. Para x=3 teremos â 5 5+4=9 = d=9. assim teremos um ponto no ângulo 5 com a distância 9.

Conforme as variáveis vão mudando os pontos vão mudando de lugar onde será construída uma reta ou curva irregular e figuras irregulares e variáveis.


O ângulo também poderá ser encontrado a partir da distância pré-determinada. E assim será marcado o ponto.

A figura, reta ou curva poderá ser medida a partir de qualquer ângulo acima de 10 graus.

Porem se iniciar a partir da 90 graus a figura desenvolvida pelo cálculo terá uma melhor visualização.

â = d. Nesta equação sempre teremos uma reta de pontos paralela ao centro como no gráfico acima.

CÁLCULO E GRÁFICO GRACELIANO.


Limite infinitesimal.

A = [a-x] /a n... = g

O todo menos uma parte, dividida pelo todo, assim infinitamente.

Onde x é sempre menor do que a.
E o limite é infinitesimal, e sempre maior que 0 e menor que 1.

T- P / T ...

Cálculo e gráfico graceliano.

O gráfico é angular e sempre determinado pela distância do centro à extremidade, e os ângulos variam conforme a distância ou a equação a ser desenvolvida.

Ele se divide em vários tipos.

PRIMEIRA CONDIÇÃO.

Para d igual à â = distância igual a ângulo.

A distância determina o ângulo, onde os pontos são marcados com a distância e o ângulo, e a sucessão de pontos formará um gráfico, reta ou uma curva.

Onde x varia de um a dez ou entre dois outros valores quaísquer.

Exemplo.

1 - Para d = x +5 = â para x = 3
d =3+5 = â
d= 8
â = 8

2 - para d= x +5 =ã para x=4

d=4+5 =ã
d=9
â= 9




SEGUNDA CONDIÇÃO.

D DIFERENTE DE Â, DISTÂNCIA DIFERENTE DE ÂNGULO.

A distância e o ângulo podem ser diferentes, onde os resultados serão diferentes, e que o resultado da equação pode dar qualquér gráfico.

D diferente â.

Para d = x + y /2 +3, temos o â = y/3 – 5.

Para x de 1 a 9, e y de 1 a 9.

Assim teremos 9 pontos marcados com uma distância que varia do ângulo.

Para o primeiro ponto x=1 e y=1.
Para o segundo ponto x=2 e y=2. Assim sucessivamente.


TERCEIRA CONDIÇÃO.

ONDE O VALOR DE X E Y PODE SER DIFERENTE, EM RELAÇÃO AO PONTO A SER MARCADO.

Onde no primeiro ponto x pode valer 1, y 3*x. ou qualquer outra variação de equação.

A distancia e o ângulo são variáveis.
E x e y também são variáveis, ou uma terceira ou quarta variável.


Daí terá pontos que formarão retas, curvas e gráficos.



Com os resultados infinitesimais podem ser somados ou multiplicados por números reais para marcarem os pontos no gráfico.

Formando um resultado integral.



QUARTA CONDIÇÃO.

SOMAM-SE OS PONTOS DE UMA EQUAÇÃO COM OUTRA, FORMANDO UM GRÁFICO CIRCULAR.

Onde o resultado do ângulo difere da distância, e que x é diferente de y.

2 2
1- d = x+2 /5 +y , â = x +3x.y/2


2 – d= x*5*2+y ,â = x/2 *y/2


Para x de 1 a 10.

Para y de 1 a 10.

A equação 1 somará todos os pontos, e a equação 2 também, e a somatória da curva da equação 1 com a 2 formará um gráfico circular.

Veremos os gráficos à frente.

QUINTA CONDIÇÃO –

OS PONTOS TAMBÉM SERÃO MARCADOS COM ÂNGULOS DIFERENTES DA DISTÂNCIA E OS VALORES DE X DIFERENTES DE Y, E A SOMATÓRIA DOS RESULTADOS FARÁ UM TIPO DE GRÁFICO CURVO.

D diferente de â, e x diferente de y.

1- d = 3/x – [y*2]. â = 4/y *[ y+x*6].
Com os valores de x e y=

1.1= 1 a 10.

1.2 =x=2 y=3
1.3 = x=4 y=7
1.4 = x =8 y=9.


2- para d= 4/3+5-2* [y/2], com â = 2/y-4*x * [3/x+y].

2.1.- x de 1 a 10 e y de 1 a 10.

2.2. x=4 y = 3.
2.3. x= 3 y= 4.

Como foi esboçado o gráfico acompanhará o resultado da equação, onde para cada resultado encontrado a partir de x e y, teremos um ângulo com uma distância do centro até a borda onde o ponto será marcado.

Mesmo sendo o resultado do ângulo sendo diferente da distância para esta condição.


LIMITE INFINITESIMAL.

O todo subtraído de uma parte, dividido pelo todo, o resultado volta a dividir pelo todo, assim infinitamente, assim temos uma nova forma de limite entre mais zero e um, e que diminui infinitamente, mas só entre maior que 0 e menor que 1.

[x-y =g . g/ x = k k/x = m.
5 – 20= 15 15/20 = 0.75, 0.75 / 20.=0.375, assim infinitamente.


[x-y =g /x]n....

Limite entre mais 0 e menos 1, e pode diminuir infinitamente.


SEXTA CONDIÇÃO.

A EQUAÇÃO DA DISTÂNCIA IGUAL AO ÂNGULO SOMADO [+], SUBTRAÍDO [-], MULTIPLICO [*], OU DIVIDIDO [ / ] A UM VALOR X, OU PROGRESSÃO X, OU POTÊNCIA X,

D = â * x..
D = â / x ao quadrado. E aí prossegue.

Ou
D = â+x/3 = r +2 . ou seja, d sofre pouca variação enquanto o â é variável ao extremo.



SÉTIMA CONDIÇÃO.

A DISTÂNCIA D É O VALOR DE QUALQUÉR EQUAÇÃO COM A VARIÁVEL X OU QUAÍSQUER OUTRAS VARIÁVEIS. E O ÂNGULO Â SERÁ IGUAL A DISTÂNCIA OU O RESULTADO DA EQUAÇÃO DA DISTÂNCIA SOMADO, OU DIVIDIDO, MULTIPLICADO OU SUBTRAÍDO DE OUTRA EQUAÇÃO.


Exemplo.
D= x.
X= â * y/2 +4.

A distância é do centro do gráfico até onde for marcado o ponto pelo resultado da equação, e o ângulo dependerá do resultado da equação da distância com o resultado da equação do ângulo e de suas variáveis.

Exemplo 2.

D=x / y+3= para x de 1 a 9 , e y = 2.

X= â + 5 – y + g. g= 0.5

Ou seja, o ângulo variará conforme a sua primeira variável que é a distância.

Podendo ser y e g com mais valores fixos, como no caso de x com infinitos milésimos de valores de um a nove, ou só nove valores dos números naturais.

Porém para cada variável de x deverá haver uma equação para cada variável de y e g.


Oitava condição.

Para progressão.

Para d = x , x= â â= y e o valor do ângulo varia – aumenta numa direção, e diminui em outra numa progressão.

â =y + g, â = y- g.

A distância aumenta numa progressão aritmética enquanto o ângulo aumenta numa progressão geométrica.

E também pode começar com o ângulo para encontrar a variável da distância numa progressão crescente e decrescente.

à = y y = x +g e y = x –g . g = variável.




NONA CONDIÇÃO.

LIMITES DE PONTOS ANGULARES, QUE A SOMATÓRIA DETERMINA UMA CURVA OU GRÁFICO.

G = limite = 9 - 3 / 9... n = n=9

Ou g = limite = 9 – s / 9 = k s= maior que 2, e menor que 8.
E a multiplicação da somatória do limite de 1 a 9.
K* 1 a 9.



DÉCIMA CONDIÇÃO.


G PODE SER UMA POTENCIAÇÃO, PROGRESSÃO DE POTENCIAÇÃO DE 1 A 9 E BASE DE 1 A 9 OU MAIS, E SOMATÓRIA DE LIMITES, FRAÇÕES, NÚMEROS NATURAIS, E NUMA MESMA EQUAÇÃO DE POTENCIAÇÃO, FRAÇÃO, NÚMEROS NATURAIS E SOMATÓRIAS DE LIMITES.

O gráfico pode variar de uma reta a uma curva, um cone, ou qualquer outro gráfico.

1 - D= â o resultado da equação do ângulo será o mesmo para distância.

à = x/y + g + k

X= 1 a 9. y 1 a 9. g = progressão de potenciação de 1 a 9.

k= somatória de limite de 1 a 9..

Para cada número natural de x de 1 até 9 terá uma equação para y valendo uma unidade e o mesmo se sucederá com a progressão da potenciação e a somatória de limite de 1 a 9.

Exemplo.

Para x = 1 / 1 + potencia de 2 sobre 1 + limite 8-s/8 = para s de 1 a 7.

Assim para cada unidade de x, de y , de potencia 1 até 9 e base de 1 a 9, e limite com a variável [ s ] teremos uma equação com pontos e valores que aumentarão ou diminuirão conforme a equação pedir.

Sendo que os sinais também poderão mudar de adição, para subtração, divisão, e multiplicação.




DÉCIMA PRIMEIRA CONDIÇÃO.

D diferente de ângulo. D = x.
â igual a x / y * g - k.

No caso a distância d variará conforme varia x.

A distância pode também ser y, ou g ou k. ou a adição de x e y, ou o resultado da equação de x e y.

O resultado para o ângulo será diferente para a distância. Pois as variáveis serão mais para os ângulos.






DÉCIMA SEGUNDA CONDIÇAO.

Para a distância d variável, no caso x /y * k.
E o ângulo â variável , diferente de d.
â = d + k * g..

Sendo d o resultado da distância com as variáveis k e g.

Multiplicatória de limite infinitesimal.

T – p / t = L * n . n representa a equação operando-a ao infinito.
L * g =
Para g maior do que L.


Exemplo.

10 – 2 / 10 = 0.8
0.8 * g = para g = de 1 a 9.

O ângulo ã é o limite e a distância d o resultado com a multiplicatória. Ou vice – versa.

A multiplicatória poderá ser qualquer variável. Ou prosseguir com mais variáveis.

Como; L * g = r r/ c c= potência de s. = radiano, áreas de gráficos, etc.

Com este cálculo pode ser criado qualquer condição.


OBSERVAÇÃO.

O gráfico poderá começar com o ângulo que for determinado pela equação ou já vir sendo citado que ele começará no ângulo de 90 graus, que será formado a reta, a curva ou outro qualquer gráfico conforme a somatória dos pontos representados pela equação.

E também a distância do ponto central ao ângulo de 90 graus poderá diminuir conforme a equação, trazendo o gráfico da equação a ser desenvolvido também para dentro do gráfico do ângulo, ou mesmo tendo parte fora e dentro do ângulo.

Com estas equações também poderá ser encontradas formas de gráficos e suas respectivas áreas.

Ou seja, será possível encontrar resultados por estes cálculos tanto presente na geometria plana, quanto no cálculo diferencial e integral.

Poderá ser também um jogo de possibilidades lógicas e matemáticas numa só equação, onde poderá ser encontrados numa só equação milhares de resultados conforme as variáveis a serem apresentadas.

Pode substituir outros cálculos que necessitam de muitas variáveis.

Para se calcular áreas de triângulos, retângulos, circunferências, cubos é só relacionar valores conforme se necessitam após ser encontrado o formato do gráfico pela equação.

Com o cálculo graceliano para gráfico angular é possível produzir vários gráficos de infinitas formas, com várias equações.

Numa mesma equação é possível usar números reais, progressão, potenciação, progressão de potenciação, percentagem, fração, cálculo diferencial e integral, somatória de limites, geometria plana e números complexos.





SOBRE FORMAS DOS GRÁFICOS.

1- Numa equação em que os resultados são os mesmos para o ângulo, e com vários resultados para distância teremos uma reta na direção do centro do gráfico angular.

2 - E se o ângulo for variável então teremos uma curva que acompanhará a circunferência do gráfico, ou seja, uma curva perpendicular ao centro.

3 - E se ambos forem variáveis, aí sim teremos várias formas para uma só equação, que será determinada conforme as variáveis da equação.

4- ou várias formas conforme as variáveis.

5- O gráfico deve ser medido a partir do ângulo de 90 graus. Pois o ângulo de 90 graus determina melhor o formato do gráfico construído pelos pontos.

6- A distância pode iniciar a partir do centro, ou na extremidade.

7- Na equação deve-se citar se o lado oposto formará o mesmo gráfico do outro lado. Se a direita é equivalente para a esquerda, e vice-versa. Ou seja, formas simétricas.


8- Para áreas retangulares deve-se considerar os símbolos para o tipo de área a ser medida, o mesmo para áreas de círculos, cones e parafusos, ou mesmo para gráficos com partes retangulares e outra circular.

9- A equação pode pedir valores intercalados, como para números pares ou impares, como na construção de gráficos de formato parafuso.

Certos valores que só entraram na equação quando for par ou impar, ou mesmo a partir de um valor pré-determinado.

10- A equação pode ser progressiva simples e progressiva de potenciação com base numérica iniciado em um, e expoente numérico iniciando em um ou outro número qualquer.

Exemplo. Num parafuso tipo cone a equação deverá ser intercalada e com progressão de expoente crescente, e ser representado pelo símbolo da área de círculos.

E ser citado a representação simétrica do outro lado.


Para se calcular área considere-se a distância e o ângulo, o resultado da somatória dos pontos, ou eleve ao quadrado para áreas, ao cubo para volume, e radianos para volumes de círculos.




CÁLCULO ANGULAR DIMENSIONAL.

DÉCIMA TERCEIRA CONDIÇÃO –

GRÁFICO ANGULAR TRIDIMENSIONAL.

PARA SE CALCULAR OS PONTOS E FORMAR UM GRÁFICO TRIDIMENSIONAL, DEVE-SE LEVAR EM CONTA ALÉM DA DISTÂNCIA E O ÂNGULO PARA CADA PONTO UM OUTRO VALOR, QUE É O DE LATITUDE AO PONTO MARCADO EM RELAÇÃO AO ÂNGULO, QUE SERÁ TRIDIMENSIONAL.

Exemplo.
Para a somatória do ângulo mais a distância um outro ponto será marcado em relação ao ângulo que é a latitude.

D diferente ou igual ao ângulo â, e latitude L diferente de â. Porém na mesma direção em relação a distância d.

Ponto 1a. d = x+ [y/ 2].
Para cada equação com valor de x terá o valor da unidade de 1 até 9.

Para cada equação com valor de y terá o valor da unidade de 1 até 9.


â = x + [y / 3].
Para cada equação com valor de x terá o valor da unidade de 1 até 9.
Para cada equação com valor de y terá o valor da unidade de 1 até 9.

L = x + [y / 4 ].
Os mesmos valores seguem para x e y acima expressos.

OBSERVAÇÃO. PODE-SE TAMBÉM USAR A TERCEIRA DIMENSÃO PARA INCLUIR ÁREAS DENTRO DOS GRÁFICOS, OU PARTES DELES.
Usando a simetria.



DÉCIMA QUARTA CONDIÇÃO - GRÁFICO ANGULAR PARA QUATRO DIMENSÕES.

PARA DIMENSÃO DE ROTAÇÃO, OU TRANSLAÇÃO.

PARA SE CALCULAR A QUARTA DIMENSÃO DEVE-SE LEVAR EM CONTA PARA CADA PONTO UM OUTRO VALOR, O QUARTO VALOR.

OU SEJA, UM QUARTO VALOR PARA MARCAR UM PONTO, QUE É O DE ROTAÇÃO, OU SEJA, O GRÁFICO ALÉM DE TER UMA FORMA ELE VAI GIRAR ROTACIONALMENTE NUMA VELOCIDADE EM RELAÇÃO A SEGUNDOS, OU OUTRA UNIDADE QUALQUER COMO REFERÊNCIA PARA A VELOCIDADE DE ROTAÇÃO, E SENTIDO HORÁRIO OU ANTI-HORÁRIO.

D DIFERENTE OU IGUAL À Ã, QUE SÃO DIFERENTES OU IGUAIS A L LATITUDE, E DIFERENTE OU IGUAL A [r] ROTAÇÃO.

E para cada ponto marcado valerá o valor final da equação.
Exemplo.

D= x + y para o ponto 1. Sendo que x vale 5 e y vale 4 /3.
ã = x - y para o ponto 1. Sendo que x vale 4 e y vale 3/2.
L = x / y para o ponto 1 . Sendo que x vale 6 e y vale 2.
r = x / [ y/2] para o ponto 1. sendo que x vale 8 e y vale 4.

Poderá marcar vários pontos até formar o objeto ou gráfico.

Aí terá um ponto marcado pela distância e ângulo, um outro ponto paralelo para determinar a latitude L, e um outro ponto responsável pela rotação do gráfico ou do objeto que a equação vai determinar.





DÉCIMA QUINTA CONDIÇÃO –

PARA DEFORMAÇÃO DE GRÁFICOS E ÁREAS.
GRÁFICO ANGULAR PARA CINCO DIMENSÕES.

PARA SE CALCULAR A QUINTA DIMENSÃO DEVE-SE LEVAR EM CONTA QUE PARA CADA PONTO UM OUTRO VALOR ALÉM DOS QUATRO JÁ DIMENSIONADOS, OU SEJA, UM PONTO TERÁ CINCO VALORES, QUE É O DO TEMPO, E É UMA VARIÁVEL QUE DEFORMARÁ O GRÁFICO DESENVOLVIDO CONFORME O TEMPO E A AÇÃO QUE ELE VAI SOFRER. ISTO PODE SER VISUALIZADO NUM BALÃO QUE MURCHA E ENCHE, OU MURCHA DE LADO E ENCHE EM OUTRO, OU MESMO PODERÁ PULSAR.

OU SEJA, ELE ALÉM DE TER UMA ROTAÇÃO ELE TERÁ MAIS UMA VARIÁVEL QUE DEFORMARÁ O SEU GRÁFICO, ÁREA E VOLUME. CONFORME AÇÃO E TEMPO.


D diferente ou igual à â, que pode ser diferente ou igual a L latitude, que pode ser diferente ou igual a [r] rotação, que pode ser diferente ou igual a variável v.

A mesma situação se repete, além dos quatro pontos mais um ou dois entra na equação que são variáveis deformativas do gráfico.

Ou seja, num gráfico com várias situações diferentes formará um balão, que além de ter rotação ele murchará e encherá conforme valores que a equação lhe der, que é a variável deformativa v. ou as variáveis deformativas de ação e de tempo [ a e t].

V = x / [y +1], os valores de x e y são variáveis.
Mais os pontos marcados pelas outras situações.

Observação geometria espacial cálculo integral, diferencial e números complexos serão desenvolvidos no cálculo angular em uma outra fase.


GEOMETRIA GRACELIANA DINÂMICA.


Com a quarta dimensão que trata da rotação e a quinta dimensão que trata da variação da forma do gráfico e do objeto, como no caso que pode ser um balão que sofre a ação do vento deformando parte lateral do seu formato, ou murchando, ou inchando parte inferior ou superior, a geometria passa a ser dinâmica e variável. Ou mesmo o objeto pode pulsar com certa intensidade por segundo. E poderá também pulsar.

Considerando também que o objeto pode se deslocar lateral sobre o gráfico que marca os ângulos.

Para a rotação deve-se acrescentar a equação da variável R, rotação por segundo.

Para a deformação deve-se acrescentar a equação da variável deformativa V, e o sentido e intensidade por segundo sobre os ângulos ou as distâncias, onde o gráfico sofrerá as alterações.

Temos estas equações nas quarta e quinta dimensão.

A GEOMETRIA GRACELIANA DINÂMICA é diferente da plana e espacial por estar sujeito a três, ou mais variáveis dinâmicas que deformam o objeto geométrico.

Variável de deslocamento D,
Variável de rotação R,
Variável de deformação V.
Variável de pulsação.
Variável de translação.


Ou seja, um balão pode pulsar, ter rotação, translação e afastamento de um ponto de origem. Isto se aplica na astronomia graceliana.


Exemplo 1.

Para d distância diferente de â ângulo. d e â diferente de L latitude, d, â e L diferente de R rotação, e todos diferentes de V variável de deformação pelo tempo.

Sendo que para cada ponto subseqüente será acrescido o valor de uma unidade, subseqüente em todas as condições dimensionais, que determinará o formato variável do objeto e sua dinâmica.

Equações diferentes para todas as condições.
Para o primeiro ponto.
1- d = x + y * [g / 2]= sendo x = 5, y = 4, g= 3.
1 – ã = x *y – [ g / 3]= sendo x = 7, y= 2, g = 4.
1- L = x / y - [ g +1] = sendo x = 4, y= 3, g = 5.
1 - R = x / y - [ g – 3 ] = sendo x= 3, y = 2 , g = 7.
1 - V = x *y + [ g – 2 ] = sendo x = 4, y = 3, g =5.
Afast= x*y


2 - com a mesma equação para cada dimensão ou condição matemática, as variáveis x, y e g serão acrescidos de uma unidade para cada ponto,

Para d, x = 6, y = 5, g = 4.
Para ã , x = 8, y = 3, g = 5.
Para L, x = 5, y = 4, g = 6.
Para R, o valor de R se repetirá, pois a rotação possui um só valor.
Para V, x, = 5, y = 4, g = 5.

Assim, os outros pontos serão marcados progressivamente, até concluir o gráfico, ou objeto com a sua variação e rotação.


As variáveis serão acrescidas de uma unidade para cada ponto.

Ai tem a construção do primeiro ponto para todas as condições, os outros pontos serão marcados mantendo as equações e mudando os valores das variáveis.

Os valores das variáveis x, y e g são crescentes, em cada condição para cada equação, a equação se repete para cada ponto, alterando com valores crescentes uma unidade para cada variável de x, y e g.

Deve-se relacionar a partir de que ponto a variável deformativa V começará a sua ação de murchar, inchar ou pulsar.

E na R rotação um só valor para girar o objeto, a primeira equação é que valerá.

A latitude L será relacionada em que direção e sentido, e em relação aos pontos do â ângulo.

Direção, sentido, e velocidade poderão ser novas dimensões.


Exemplo 2.

Poderá ser uma só equação para todas as condições dimensionais.

1 . d, ã, L, R, V = x* y + g – 2 = sendo que x= 5, y= 4, g= 3.
2 . d, ã, L, R, V = x * y+ g - 2= sendo que x= 6 y =5, g = 4.
3 . d, ã, L, R, V, = x *y+ g - 2 = sendo que x = 7 y = 6 g = 5,

Ou seja, as variáveis serão acrescidas de uma unidade.







Assim, pode-se calcular um balão que murchar um dos lados, ou que pulsa, se encontra em rotação, translação, elipse, e afastamento.


Este trabalho está incompleto.
CÁLCULO INFINITESIMAL ANGULAR GRACELIANO.


Autor. Ancelmo Luiz Graceli.

Brasileiro, professor, pesquisador teórico, graduado em filosofia.

Endereço – rua Itabira, n 5, Rosa da Penha – Cariacica – Espírito Santo, Brasil.

ancelmoluizgraceli@hotmail.com

Trabalho registrado na Biblioteca Nacional – Brasil – Direitos Autorais.

APRESENTADO A SECT – ES – BRASIL.

Sesbram – Sociedade Espírito Santo – Brasil de Matemática – submissão.


DO QUASE NADA TUDO PODE SURGIR – EXCETO DEUS. POIS É O ÚNICO ABSOLUTO.



MATEMÁTICA.

O objetivo deste trabalho de modelo matemático é desenvolver uma nova forma de ver o cálculo, porém simples e que poderá sofrer varias reformas com o passar do tempo.

Teoria graceliana de limite.

´´Menos uma parte de um todo, o resultado dividido pelo todo´´. Prosseguindo a equação infinitamente.

x - y / x = g. O resultado [g] sempre será entre zero e um.
Aí temos o início de um novo cálculo infinitesimal.
x-y / x = g. onde g nunca passará de um e nunca será menor que zero. E diminuirá infinitamente.

G + g.
g-g.
g/g. g*g/x.
g/ g
n … progressão infinitesimal.

[k]
g/x .


g*g = a g.
n…
x-y/x = g... * x-y/x = g... + x-y/x= g = n...


g* a g.... Progressão de limite.

O limite entre zero e um pode ser infinito, pois pode diminuir infinitamente, porém sempre será menor que o número um.

gx /x limite infinitesimal.
n...

x – y /x /x ...

Encontrado o limite entre zero e um com o todo subtraído de uma parte, e volta a dividir com o todo, é encontrado assim um número que nunca extrapola de um.


Cálculo Graceliano Angular.

Gráficos a partir de pontos e limites entre zero e um.

1 - Variação de pontos pela variação da distancia ao ângulo, e pela variação do ângulo.

O ponto é marcado pelo ângulo e pela distância ao ângulo. Onde os pontos variarão.

E a distância variará conforme a equação em relação ao ângulo que o determinará.

Exemplo.

20 * x = 40. Onde x=2, ou seja, a distância é igual a 40. Ou seja, temos um ponto no ângulo 20 e uma distância 40, ou seja, 2 vezes maior que o ângulo. Assim se construirá um formato no espaço ou num gráfico pré-determinado.

Ou seja, tanto o ângulo pode variar quanto x, determinando que dentro de um gráfico a partir de ângulo teremos ponto com várias distâncias ao centro. Onde teremos vários formatos de retas, curvas, e formas a partir destes pontos.

Com x sendo equações, progressões, limites, frações, etc.

Exemplo.
x-y
X= x .

X = y/x -1. E várias outras formas de se encontrar os pontos de ângulos [â] e distância.


2- Variação de pontos também a partir de variação de ângulos variáveis, e distância a partir destas variações somadas com as variações das equações das distâncias.

Exemplos.
1 - â = progressões, frações, e outras variáveis.

2 - ã = y/ 2 +3/2 = ao ângulo. Encontrado o ângulo será procurado a distância de cada ponto ao centro do gráfico, a partir de uma outra fórmula para se encontrar a distância a partir daquele ângulo já encontrado.


1 - x+y = ã. O ângulo [â] determinará a distância a partir de uma nova fórmula.

E ângulo e distância determinam o ponto onde com vários pontos serão construídas retas, curvas e gráficos. Encontrando vários ângulos, serão encontradas várias distâncias, e para cada ângulo e distância será marcado um ponto. E estes infinitos pontos darão formato a retas, curvas e gráficos.

Exemplo.
X=y /3 =â â= x*[g/2] = d = distância.

De variáveis será encontrado o ângulo, do ângulo + variáveis será encontrado a distância do ângulo ao centro, e ângulo e distância ao centro é onde o ponto será marcado para aquela equação.

X+2 =ã 3+2 =5 ã=5.
D= ã + 4. Para x=3 teremos â 5 5+4=9 = d=9. assim teremos um ponto no ângulo 5 com a distância 9.
Conforme as variáveis vão mudando os pontos vão mudando de lugar onde será construída uma reta ou curva irregular e figuras irregulares

sexta-feira, 30 de julho de 2010

CÁLCULO INFINITESIMAL ESPACIAL DIMENSIONAL GRACELIANO.
Autor – Ancelmo Luiz graceli.

Brasileiro, professor, pesquisador teórico, graduado em filosofia.

Rosa da penha, Cariacica, Espírito Santo, Brasil.

ancelmoluizgraceli@hotmail.com

Colaborador. Márcio Piter Rangel.

Trabalho registrado na Biblioteca Nacional – Brasil - Direitos Autorais.

Agradeço a algumas faculdades que estão incluindo os meus trabalhos em seus currículos.


Este cálculo não se usa o gráfico cartesiano ou o angular graceliano. Os pontos são marcados no espaço conforme o resultado da função numa ordem de altura, ou de longitude, latitude, transversal e [ou] de aceleração e velocidade, ou rotação, etc. em relação ao tempo.

Por isto que é um cálculo espacial dimensional.

E com infinitas dimensões.

E é infinitesimal porque pode usar o cálculo infinitesimal vigente ou o graceliano.




Os pontos não são marcados em relação a um gráfico, mas no espaço.

E os valores que determinarão se o referencial será uma reta, uma curva, uma curva com rotação, ou com rotação e afastamento progressivo em uma das extremidades, e se terá translação.

Um valor de x inicial até um outro valor de x final, que estará entre x inicial e x final.

E para cada valor infinitesimal de x há uma variação – que pode ser exponencial, progressiva, fracionária, ou outras funções matemáticas. Inclusive do cálculo vigente.


A variação para cada infinitesimal variação de x poderá representar funções algébricas, de cálculo integral, ou e principalmente com funções de valores dimensionais.


Os valores dimensionais podem representar infinitas dimensões. Mas, principalmente para a rotação, translação, lateralidade, afastamento, expansão progressiva.


Espacial será no espaço, sem referencial, mas os valores de x poderão formar um gráfico – reta, curva, espiral, etc. fixa, ou com dinâmica e variação de forma conforme a função o determinará.

Temporal – pode variar conforme o tempo, tanto o valor de x quanto o resultado da função.

E que poderá aumentar progressivamente ou decrescer.


Ou seja, o valor de x inicial ao x final poderá ser de 5 a 9. ou outros valores para x inicial e x final.

Exemplos.

1] x= a*2+ b*4 +[c/2].

2]Ou seja, para cada ponto entre 5 e 9 haverá variações e determinarão pontos em relação
a cada valor de 5 e 9 e seus intermediários.


3]Os cálculos poderão ser para funções algébricas, cálculos matemáticos, e principalmente dimensionais.


4] Usando dimensões.
Entre o valor de x inicial e x final ou infinito sendo que x inicial é 7. E usando x como referencial espacial, e o outro ponto sendo o resultado em relação ao valor usado na função algébrica, de cálculo, ou valore dimensional.


a] x inicial = 7 sendo que x pode começar com 7 e ter um extremo ou continuar.

Para cada valor de x = rotação * translação+ afastamento + movimento de lateralidade.

Sendo que para cada valor de cada dimensão se terá varáveis diferentes em relação ao tempo.


B] sendo que cada dimensão pode ter uma variável própria, e em cada variável própria uma variável para cada valor de x.

C] e cada valor de x variar conforme uma função pré-estabelecida.

Ou seja, sendo x de 7 a 14 com rotação, translação e afastamento crescente até 10 e decrescente a partir de 10,01 até 14 ou mais.

Sendo que para cada variação de x haverá uma variação proporcional [ou] maior equivalente a um valor y em todos, alguns ou nenhum valor de r, t, a.


X poderá representar pontos de afastamento formando uma reta, ou curva, ou curva em rotação etc. com os resultados dos pontos da função.


As variáveis dimensionais podem ser mais de uma para cada dimensão.

Exemplo.

R1, r2, r3, rn... Todas com coeficientes variáveis diferentes.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

ancelmo luiz graceli